Terreiro fechado. O que fazer?

Em tempos de Coronavírus, vemos que a maioria dos terreiros estão suspendendo seus trabalhos de atendimento e passe mediúnico. Algo parecido com o que se fazia antigamente no período da quaresma, (coincidentemente estamos nesse período).

Entendemos que a ausência dos trabalhos espirituais, geralmente semanais, que combatem as energias negativas e espíritos obsessores pode acarretar em uma “liberdade” maior para a ação dessas energias indesejadas.

Publicidade

Sabemos também da importância dos “atendimentos espirituais”, mas se os benefícios desses atendimentos tiverem como contraponto o risco enorme de disseminação do Covid-19, o melhor mesmo é ficar em casa.

O que fazer se o terreiro não abrir?

Ciente de que cada casa umbandista tem suas diretrizes próprias para casos como este, apenas resolvi escrever esse artigo para transmitir o que nós do Barracão de Pai José estamos sendo orientados a fazer para manter nossa proteção espiritual, isso pode servir como uma boa opção para os seguidores e simpatizantes da religião.

Quando sabemos que teremos a gira semanal, é natural que deixemos de lado algumas ações que deveríamos fazer com ou sem terreiro aberto, como por exemplo, a defumação de nossos lares, os banhos de defesa e energização, a firmeza de pontos (acender velas para anjo da guarda, guias e orixás), o cuidar de nossos Guardiões (Canjira).

Publicidade

Retomar com mais atenção esses rituais pessoais é a primeira recomendação.

Que tal utilizarmos exatamente o dia e horário que estaríamos no roteiro para realizar tais rituais?

Será extremamente benéfico o resgate de tais hábitos religiosos que poderão nos recolocar no caminho certo mesmo depois que o terreiro voltar à ativa.

Será muito útil utilizar esse tempo para cuidar de nossa espiritualidade e consciência, um olhar para si, uma reorganização de pensamentos e atitudes.

Será de bom efeito realizar esses rituais ao mesmo tempo que nossos irmãos estão também realizando, formando uma enorme corrente mental irradiando boas energias de diferentes pontos. E esses pontos são também sagrados, são nossos lares.

Servirá para relembrarmos o que eu sempre prego em nossos cursos, que todos podemos realizar tais “mirongas”, que somos livres e não dependemos de ninguém para fazer o bem para nós e para os outros.

Vale lembrar que tudo deve ser feito com responsabilidade, pois alguns procedimentos só podem ser realizados no terreiro, como por exemplo, a incorporação dos Guias, que depende de fundamentos e preparos que só o terreiro possui.

E repito: É importante também respeitar as orientações de sua Casa de Axé, respeitamos todas as outras formas de pensamento.

Juntos somos mais fortes, e podemos ficar juntos física ou mentalmente.

Publicidade

Siga

169,022FãsCurtir
6,743SeguidoresSeguir
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Não Perca

Projetada nova linha intermunicipal de transporte público entre Itupeva e Jundiaí

Atendendo a uma demanda antiga, iniciada pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Itupeva, em benefício dos usuários do transporte público intermunicipal,...

Bolsonaro diz que Brasil foi um dos países que melhor enfrentou a pandemia

Mesmo no exato momento em que o Brasil registra mais de 116 mil mortes pela Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na...

Miss Jundiaí faz campanha para ajudar famílias em vulnerabilidade social

Com a chegada da pandemia de Covid-19 em março deste ano, a estudante de psicologia Daniele Daros, de 22 anos, não pode...

Com mais de 10 dias sem mortes por Covid-19, Jarinu e Cabreúva registram queda de óbitos

As cidades de Jarinu e Cabreúva têm registrado queda significativa no número de novos casos de Covid-19 e, principalmente, no de óbitos...

Jundiaí tem mais de 90% do infectados pela Covid-19 recuperados da doença

Segundo o painel de monitoramento do coronavírus da Prefeitura de Jundiaí, dos 9.940 casos confirmados de Covid-19 na cidade, até quarta-feira (26),...
PUBLICIDADE