Blockchain esta na mira da ANAC, Agência de Aviação Civil do Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) esta de olho nas possibilidades da tecnologia blockchain e autorizou um servidor publico, ocupante de um cargo comissionado, para participar do ICAO Blockchain Aviation Summit and Exhibition, evento que será realizado em Abu Dhabi, Emirados Árabes, de 3 a 4 de abril de 2019.

No Brasil, a ANAC é responsável por supervisionar a atividade de aviação civil no país, tanto no que toca seus aspectos econômicos quanto no que diz respeito à segurança técnica do setor

Publicidade

Organizado pela Autoridade Geral da Aviação Civil (GCAA), o evento promete unir Estados, indústrias, parceiros e líderes de pensamento para “introduzir e explorar as inovações na tecnologia Blockchain que suportam sistemas de aviação civil sólidos, seguros, protegidos e economicamente viáveis”, diz o site oficial da organização.

Além disso o evento pretende construir uma especie de ‘consenso’ sobre o uso de blockchain na aviação, e também “Promover uma estrutura de governança mundial para acelerar a adoção da tecnologia Blockchain na aviação e enfrentar desafios induzidos na construção de interfaces seguras, protegidas, resilientes e eficientes em todo o sistema multidisciplinar de aviação civil; e Apoiar novas iniciativas relacionadas com a Blockchain da ICAO para abordar os Objetivos Estratégicos da ICAO e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU”.

O evento ainda não definiu os palestrantes, mas são esperados autoridades de Dubai, que atualmente segue com os desenvolvimentos de seu projeto chamado Smart Dubai que pretende tornar o Emirado líder na aplicação da tecnologia e também,

Publicidade

No ano passado, a Boeing, uma das maiores empresas do setor aéreo do mundo, anunciou uma parceria com a SparkCognition, empresa especializada em Inteligência Artificial, para desenvolver uma plataforma descentralizada utilizando blockchain capaz de “rastrear veículos aéreos não tripulados em vôo e alocar corredores e rotas de tráfego” para garantir transporte seguro.

A empresa pretende implantar várias aplicações comerciais, incluindo entrega de pacotes e viagens aéreas urbanas, algo muito parecido com o táxi aéreo anunciado pelo Uber. E, para monitorar toda esta nova frota autônoma, a empresa norte-americana planeja utilizar a cadeia de blocos para que seja possível, criar uma “interface de programação padronizada para suportar a entrega de pacotes, inspeção industrial e outras aplicações comerciais”, acrescentou a empresa.

Publicidade

Siga

170,012FãsCurtir
6,743SeguidoresSeguir
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Não Perca

Projetada nova linha intermunicipal de transporte público entre Itupeva e Jundiaí

Atendendo a uma demanda antiga, iniciada pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Itupeva, em benefício dos usuários do transporte público intermunicipal,...

Bolsonaro diz que Brasil foi um dos países que melhor enfrentou a pandemia

Mesmo no exato momento em que o Brasil registra mais de 116 mil mortes pela Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na...

Miss Jundiaí faz campanha para ajudar famílias em vulnerabilidade social

Com a chegada da pandemia de Covid-19 em março deste ano, a estudante de psicologia Daniele Daros, de 22 anos, não pode...

Com mais de 10 dias sem mortes por Covid-19, Jarinu e Cabreúva registram queda de óbitos

As cidades de Jarinu e Cabreúva têm registrado queda significativa no número de novos casos de Covid-19 e, principalmente, no de óbitos...

Jundiaí tem mais de 90% do infectados pela Covid-19 recuperados da doença

Segundo o painel de monitoramento do coronavírus da Prefeitura de Jundiaí, dos 9.940 casos confirmados de Covid-19 na cidade, até quarta-feira (26),...
PUBLICIDADE