Irmãs fazem aniversário juntas e dão à luz no mesmo dia

As irmãs Lauryanne Costa e Luciares Araújo, de 32 e 39 anos, respectivamente, nasceram no mesmo dia, com sete anos de diferença, sem agendar o parto. As coincidências não pararam por aí: ambas pretendiam ter filhos em parto normal, mas precisaram fazer cesariana. O que elas não sabiam é que, além de compartilhar o dia do aniversário, iriam para a maternidade no mesmo dia.

Luciares nasceu dia 14 de julho de 1980. No dia do aniversário de sete anos dela, em 1987, nasceu a irmã, Lauryanne. Elas são as irmãs mais velha e mais nova, respectivamente, entre as três filhas de José e Lúcia, moradores de Belo Jardim, no Agreste de Pernambuco.

Publicidade

Lauryanne foi a primeira a dar à luz. Teve Joaquim às 9h15 do dia 12 de janeiro, no Hospital Memorial São José, na área central da capital pernambucana.

Com 41 semanas de gestação, a obstetra decidiu realizar a cirurgia para evitar riscos ao bebê. Já Luciares, com 39 semanas, acreditava que teria Mariana somente quando completasse 40 semanas.

Ao visitar a irmã mais nova e a sobrinha no hospital, ela descobriu que estava com dois centímetros de dilatação. Então, a médica decidiu mandá-la para casa, mesmo em trabalho de parto, acreditando que o nascimento do bebê deveria acontecer mais tarde ou mesmo no outro dia.

Publicidade

Mais tarde, com dores, Luciares precisou voltar à maternidade e já estava com oito centímetros de dilatação. O parto, que seria normal, precisou ser cesariana. Afinal, foram quatro horas tentando dar à luz. Mariana, nasceu às 18h15, nove horas depois do primo Joaquim.

“O que aconteceu foi que o bebê dela atrasou alguns dias e a minha, se antecipou alguns dias. Eu dizia que queria que Mariana nascesse depois, porque eu queria acompanhar o parto dela, mas meu marido dizia que era muita emoção. Mas é que, como moro em Garanhuns (no Agreste), não nos veríamos por um tempo depois do nascimento”, declarou.

Para Luciares e Lauryanne, a gravidez foi uma experiência compartilhada, desde os sintomas físicos e emocionais às experiências de como aliviá-los.

Os primos, Joaquim e Mariana, ainda não se encontraram depois que saíram da maternidade. Luciares, mora em Garanhuns e alugou um apartamento no Recife, no dia 22 de dezembro de 2019 para esperar a chegada da bebê, mas decidiu voltar ao interior dias depois do parto.

Publicidade

Siga

168,466FãsCurtir
6,743SeguidoresSeguir
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Não Perca

Projetada nova linha intermunicipal de transporte público entre Itupeva e Jundiaí

Atendendo a uma demanda antiga, iniciada pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Itupeva, em benefício dos usuários do transporte público intermunicipal,...

Bolsonaro diz que Brasil foi um dos países que melhor enfrentou a pandemia

Mesmo no exato momento em que o Brasil registra mais de 116 mil mortes pela Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na...

Miss Jundiaí faz campanha para ajudar famílias em vulnerabilidade social

Com a chegada da pandemia de Covid-19 em março deste ano, a estudante de psicologia Daniele Daros, de 22 anos, não pode...

Com mais de 10 dias sem mortes por Covid-19, Jarinu e Cabreúva registram queda de óbitos

As cidades de Jarinu e Cabreúva têm registrado queda significativa no número de novos casos de Covid-19 e, principalmente, no de óbitos...

Jundiaí tem mais de 90% do infectados pela Covid-19 recuperados da doença

Segundo o painel de monitoramento do coronavírus da Prefeitura de Jundiaí, dos 9.940 casos confirmados de Covid-19 na cidade, até quarta-feira (26),...
PUBLICIDADE