A máfia do extintor de incêndio

Não é por acaso que somos obrigados a ter no carro um extintor de incêndio. Quem fabrica sabe que se deixar por nossa conta, poucos serão os carros assim equipados. Quem fabrica se une, escolhe gente que manda no trânsito no país, e declara ser norma obrigatória. Assim foi com o estojo de primeiros socorros, assim foi com o selo de licenciamento que era colado no parabrisa.
Depois dos fabricantes venderem os tubos e alguém no Denatran também ganhar com isso, a obrigatoriedade do estojo foi abolida. Razão: não servia para nada. Agora é a vez dos extintores de incêndio. Outra balela, e das grandes.
O extintor para fogo de classes A, B e C e só um peso morto dentro do carro. Não serve pra apagar fogo, fato que pude comprovar. Sua carga é muito pequena. Dizem os bombeiros que esse extintor só apaga fogo no seu início. Traduzindo: quando alguém acender um fósforo para colocar fogo em algum lugar, será possível apagar o palito de fósforo com esse extintor.
A máfia é rápida. No final do ano um extintor desse tipo, mesmo sendo inútil, custava R$ 55 em média. Em dezembro, quando nossas “otoridades” ameaçaram os motoristas, avisando que iam multar a partir de 1º de janeiro, o preço chegou a R$ 90, e o produto desapareceu das lojas e postos de combustíveis.
Como tudo aqui é uma brincadeira, no começo de janeiro as “otoridades” esticaram o prazo, e avisaram que as multas serão a partir do dia 1º de abril, coincidentemente o Dia da Mentira. Hoje um extintor custa entre R$ 170 e R$ 200. Quem não tiver essa geringonça no carro vai levar multa e pontos na carteira.
Outra máfia que está sendo desmascarada é a das cadeirinhas para crianças. Um teste mostrado domingo na TV, provou que também não serem pra nada, não protegem crianças e até colaboram para agravar o acidente. Resumo da ópera: fabricantes fazem seu lobby com políticos, esses inventam leis e todo mundo ganha muito dinheiro.
Conselho de quem já passou por isso: se seu carro pegar fogo, use a boa e velha água. Não acredite que um extintor vai salvá-lo do prejuízo. E se quiser fraudar, arrume um usado e trave o ponteiro no verde. Se você precisar apagar fogo, não vai servir pra nada mesmo.
E aguarde as próximas normas: não dirigir chupando pirulito, não comer mortadela para evitar a formação de gases no interior do carro e colocar um adesivo no painel com os dizeres “Papai, não corra”. A não ser que alguém pague. Nossas “otoridades” agradecem esse óbulo.

Publicidade

Siga

169,299FãsCurtir
6,743SeguidoresSeguir
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Não Perca

Projetada nova linha intermunicipal de transporte público entre Itupeva e Jundiaí

Atendendo a uma demanda antiga, iniciada pelo Conselho Municipal de Turismo (COMTUR) de Itupeva, em benefício dos usuários do transporte público intermunicipal,...

Bolsonaro diz que Brasil foi um dos países que melhor enfrentou a pandemia

Mesmo no exato momento em que o Brasil registra mais de 116 mil mortes pela Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na...

Miss Jundiaí faz campanha para ajudar famílias em vulnerabilidade social

Com a chegada da pandemia de Covid-19 em março deste ano, a estudante de psicologia Daniele Daros, de 22 anos, não pode...

Com mais de 10 dias sem mortes por Covid-19, Jarinu e Cabreúva registram queda de óbitos

As cidades de Jarinu e Cabreúva têm registrado queda significativa no número de novos casos de Covid-19 e, principalmente, no de óbitos...

Jundiaí tem mais de 90% do infectados pela Covid-19 recuperados da doença

Segundo o painel de monitoramento do coronavírus da Prefeitura de Jundiaí, dos 9.940 casos confirmados de Covid-19 na cidade, até quarta-feira (26),...
PUBLICIDADE