Siga nos
(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-2913080483495928", enable_page_level_ads: true });

Pai Alexandre Falasco

As Giras de Umbanda

Falar das Giras de Umbanda é falar da essência do nosso ritual, do que diferencia a Umbanda de todas as outras religiões e a torna uma cultura única e singular, apesar de todas as influências que ajudaram a compor seus postulados.

Não estou falando das Linhas da Umbanda, que são 7 (sete), e sim das Giras que aparecem em maior número no ritual Umbandista e, claro, todas elas estão ligadas a uma destas 7 linhas da Umbanda, assim como cada Gira pode estar ligada a um determinado Orixá, ainda que não seja a manifestação do próprio Orixá, e sim de seus mensageiros.

As Giras de Umbanda são as divisões destes mensageiros em diversos grupos, vibrações, regências, que os diferenciam. As Giras de Umbanda são as diferentes falanges de Espíritos de Luz, que trabalham juntos em uma vibração específica, facilmente identificada nos trejeitos e modo de trabalho destas Entidades.

São os Baianos, os Caboclos, os Pretos Velhos, os Boiadeiros, os Erês, os Marinheiros, os Exus, dentre tantas outras manifestações mágicas de grupos gigantescos que trabalham juntos, quer seja por pura afinidade, ou por se encaixarem naquela vibração para o melhor cumprimento de suas missões com os encarnados.

Na prática, são os diferentes “trabalhos” de Umbanda. Chamamos de “trabalho” o ritual periódico de atendimento onde médiuns incorporados destes Guias de Luz auxiliam as pessoas que a Eles recorrem. E estes Guias de Luz se dividem nestes grupos.

Chegado o dia deste trabalho, é chegada a hora de uma destas Giras acontecerem, ou seja, em cada trabalho uma destas falanges, um destes grupos de Entidades interligados por uma mesma vibração, cumprirá seu papel de Caridade.

No Barracão de Pai José de Aruanda, se realizam as seguintes Giras de Umbanda:

Pretos e Pretas Velhas
Caboclos de Oxossi
Mensageiros de Xangô
Mensageiros de Ogum
Baianos
Erês/Crianças
Linha d`Água (mensageiras de Iemanjá, Iansã, Nanã e Oxum)
Boiadeiros
Marinheiros
Ciganos
Gira do Seu Zé
Exus e Pombagiras
Exu-mirim

Nos próximos artigos, pretendo falar um pouco sobre cada uma destas Giras. Suas particularidades e dados de culto.

Por Pai Alexandre Falasco
(Dados extraídos do livro “Umbanda de Barracão”, de autoria de Alexandre Falasco, Editora Ícone)

Clique para comentár

Nos escreva

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Empresa Henkel de Jundiaí tem vagas de emprego

Jundiaí

Confira as vagas abertas em Jundiaí

Jundiaí

Coca-Cola tem vagas de emprego em Jundiaí

Jundiaí

Duratex abre vagas de emprego em Jundiaí

Jundiaí

© 2019 Cruz de Malta Editores Associados | Novo Dia Notícias: Auditado pela Associação dos Jornais do Interior do Estado de São Paulo - ADJORI/SP. Filiado à Associação Nacional de Jornais - ANJ
Atibaia, Cabreúva, Caieiras, Cajamar, Campo Limpo Paulista, Francisco Morato, Franco da Rocha, Indaiatuba, Itatiba, Itu, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Morungaba, Salto, Valinhos, Várzea Paulista e Vinhedo

Conectar